ESTRIAS

As estrias são cicatrizes suaves em locais onde houve estiramento excessivo da pele, levando a um rompimento prematuro das fibras.

As estrias são queixa frequente no consultório, principalmente pelas mulheres, que a cada dia têm se preocupado mais com a estética corporal. Realmente as estrias são mais prevalentes no sexo feminino e estão diretamente relacionadas a períodos de alterações hormonais, como a puberdade, gestação e obesidade. Outras condições como Síndrome de Cushing, Síndrome de Marfan, diabetes, tuberculose e lúpus eritematoso têm sido relacionadas com o aparecimento de estrias.
Na puberdade, as alterações hormonais com participação importante do cortisol, podem levar ao aparecimento de estrias.

Na gestação, os próprios hormônios da gravidez, associados ao estiramento da pele e ao ganho de peso levam a formação de estrias. E interessante ressaltar, que as estrias são mais frequentes nas gestantes adolescentes quando comparadas a mulheres adultas grávidas. Isto talvez ocorra em decorrência da soma de componentes hormonais nas adolescentes grávidas.

Além destas condições fisiológicas, há outros fatores que desencadeiam a formação de estrias, como o ganho de peso, o uso de corticoides sistêmicos e tópicos, e o aumento abrupto de massa muscular, observado em pessoas que se submetem a uma hipertrofia muscular rápido, acompanhado de distensão importante da pele.

Classificação:

Vermelhas: são as chamadas estrias recentes. Normalmente, na sua fase inicial, as estrias apresentam-se avermelhadas ou arroxeadas, e vão gradativamente assumindo a coloração branca, podem ser precedidas de prurido no local de aparecimento. Nesta fase ela é mais fácil de ser tratada diminuindo o eritema e a tendência para cicatriz. A estria vermelha é totalmente diferente da estria branca, pois a primeira é considerada a fase inicial, inflamatória, com vasodilatação, e a segunda são cicatriciais sem inflamação e com cor esbranquiçada.

Brancas: são as estrias antigas, que já não apresentam reação inflamatória, já estão consolidadas e são mais difíceis de tratar. Neste caso, além do aspecto esbranquiçado, existe o afinamento e depressão e quantidade menor de fibras. Os tratamentos utilizados visam à estimulação da pele para que maior quantidade de fibras possa ser produzida.

Atróficas: apresentam-se deprimidas em relação a superfície da pele.

Hipertróficas: fazem relevo com relação à superfície da pele.

Localização:

Quanto à localização, na puberdade, normalmente acometem a face lateral dos quadris e coxas, e em alguns casos, a região lombar.

Na gestação, geralmente se distribuem no abdomem, circundando a cicatriz umbilical, podendo acometer tombem a região glútea, coxas e flancos, quando a gestação é acompanhada de ganho excessivo de peso.

Observa-se predileção pelo aparecimento de estrias nas áreas de maior acúmulo de tecido adiposo, principalmente a gordura característica das formas ginóides.

Histologia:

A histologia das estrias inclui uma atrofia epidérmica, acompanhada de retificação das papilas dérmicas e alterações das fibras colágenas e elásticas, as quais diminuem em número e passam a assumir uma orientação paralela com relação à epiderme.

As estrias vermelhas ou recentes, são acompanhadas de um processo inflamatório inicial, observando-se elastólise, degranulação de mastócitos e macrófagos ao redor de fibras elásticas fragmentadas.

Portanto, tem-se uma reorientação de fibras elásticas e colágenas, redução da fibrilina, condensação das fibras colágenas e fragmentação dos fibras elásticas, não sendo as estrias cicatrizes verdadeiras.

Tratamento:

carboxiterapia

Radiofrequência fracionada

Pelling químico

Peeling de diamante

Endereço

Rua Santa Rita, 411 - Centro - Garopaba/SC

Informações e Agendamento (48) 3254-6760 

Email:clinicayoungbody@gmail.com  

Redes Sociais:   32x32 instagram  facebook

Receba Novidades